Franquia de alimentação: Conheça as regras sanitárias para abrir a sua

O ramo da alimentação é o mais exigente com as questões de higiene. Por conta disso, abrir uma franquia de alimentação é algo que precisa ser muito bem pensado e procurar sempre se adequar ao que pede as leis.

Afinal, mais do que um mobiliário adequado, funcionários e demais estruturações, é altamente necessário oferecer um alimento limpo e de qualidade, bem como armazená-los corretamente. Até mesmo porque, uma franquia de alimentação é constantemente fiscalizada e qualquer deslize pode resultar em multas e interdições.

Requisitos básicos 

Há requisitos básicos para abrir uma franquia de alimentação e estar dentro das normas da Vigilância Sanitária. Conhecê-los e entendê-los é garantia de evitar maiores problemas e ter que passar por períodos desagradáveis e de profundo desgaste emocional e financeiro.

1. Higiene do local de trabalho

O mais básico e deduzível requisito para manter a franquia de alimentação funcionando adequadamente e dentro do que estabelece as normas da Vigilância Sanitária, é manter o ambiente limpo. Em suma, o ambiente precisa ter todas as condições de saneamento básico funcionando perfeitamente.

Isso significa que o esgoto ou fossa deve estar eliminando qualquer descarte de forma adequada. Além disso, a boa iluminação, ventilação adequada e organização, fazem parte das regras básicas da vigilância para manter a franquia de alimentação em dia.

Um ponto muito importante é que a caixa de esgoto e a caixa de gordura deve permanecer em um local distante de onde os alimentos são armazenados e preparados. Dessa maneira, evita-se contaminações e demais problemas em relação à saúde do alimento e de todas as pessoas que ali estão.

2. Produtos de limpeza

É necessário jamais deixar os produtos de limpeza próximo aos alimentos. Todos eles devem se manter isolados e em um local adequado. 

Um exemplo perfeito é que se a franquia de alimentos possui disponibilidade para ser instalada em uma sala de dois andares, os produtos de limpeza devem ser guardados em um dos andares utilizados somente para higienização.

Caso seja necessário realizar uma limpeza ou dedetização no ambiente, é indicado contratar uma empresa de segurança especializada.

3. Água

Uma franquia de alimentação sem água tratada e corrente, não está apta para atuar. O motivo é que, a caixa d’água precisa de atenção minuciosa para garantir que estará em dia. Isso significa que é preciso averiguar se ela está devidamente tampada, sem rachaduras, vazamentos ou infiltrações.

Além disso, é uma forma segura de evitar que animais e outros corpos estranhos, bem como materiais contaminados, entrem em contato com os funcionários, clientes e, principalmente, com a alimentação.

4. Data de validade

A data de validade precisa ser algo sempre à vista dos consumidores. Em uma franquia de alimentação natural e a granel, por exemplo, é necessário que a data de validade dos produtos esteja à vista. 

Dessa maneira, o cliente saberá exatamente o que está consumindo e terá a sensação de confiança ao comprar no local. Prova disso, é o artigo publicado pela ANVISA em Novembro de 2018, o qual explana a obrigatoriedade em expôr a data de validade nos produtos para, dessa forma, manter a segurança do consumidor.

5. Funcionários

É preciso ter em mente que, em uma franquia de alimentação, a aparência do funcionário e de todos que atuam no local precisa ser de acordo com as normas do ambiente. Logo, os funcionários da franquia precisam estar preferencialmente com os cabelos presos, tocas, além de unhas limpas e cortadas.

Para as mulheres, caso o local permita maquiagem, ela deve ser quase imperceptível ou, melhor ainda, básica. 

6. Alimentos no chão

Jamais, em hipótese alguma, é permitido abrir a franquia de alimentação e deixar os alimentos no chão. O local deve ter estrutura adequada para portar um estoque, por menor que seja, para armazenar os alimentos que serão vendidos.

Além disso, dependendo do tipo de alimento vendido na franquia, será necessário armazenar em uma geladeira.

Atenção ao franqueador e franqueado

Tanto franqueador quanto franqueado precisam estar em harmonia antes de fechar negócio. O motivo é que, dessa maneira, evita-se uma série de problemas em todos os âmbitos. Além disso, uma franquia de alimentação é algo que exige imensa responsabilidade para com todos os detalhes.

Franqueador

O franqueador deve sempre realizar uma análise atenta sobre o perfil do interessado em adquirir a franquia. O motivo é que, é preciso investigar o histórico, se o indivíduo possui capital, experiência com empreendimento, documentação em dia, entre outros aspectos.

O motivo é que, dessa forma, evita-se uma série de problemas que podem ser de grande seriedade e gravidade futuramente, bem como render uma série de prejuízos financeiros para o franqueador.

Franqueado

Já o franqueado, pessoa que adquire a franquia de alimentação, precisa ter em mente a imensa responsabilidade que é adquirir uma franquia e gerenciá-la como sua. Afinal, é preciso ter conhecimentos sobre gestão de pessoas e, se houver experiência em como empreender, é melhor ainda.

Além disso, ter total controle e cuidado para com os lucros e gastos de franquia de alimentação, é de grande importância para evitar falência e demais problemas relacionados à administração da franquia. 

Portanto, maturidade financeira, responsabilidade, compromisso, espírito vencedor e visão de líder são alguns dos requisitos necessários para adquirir uma franquia.

Dicas adicionais para a franquia de alimentação

Antes de entrar em contato para negociar a franquia de alimentação, é preciso colocar na ponta do lápis todas as despesas já existentes. Isso inclui as despesas pessoais, já que são contas fixas de qualquer pessoa.

O motivo é que, para adquirir uma franquia de alimentação, é necessário ter um determinado capital para evitar problemas financeiros e queimar a imagem perante o franqueador. Além disso, também é preciso levar em conta as contratações.

Para abrir uma franquia de alimentação, será necessário ter funcionários capacitados para atendimento. Isso significa que, caso esteja tudo certo e seguro para abrir a franquia, será necessário realizar uma avaliação minuciosa de cada candidato (a) à vaga.

Afinal, ter pessoas que sabem como atender um cliente e possuem determinados conhecimentos sobre o segmento, é essencial para garantir um alto nível de satisfação por parte de todos os envolvidos.

Caso seja necessário, entrar em contato com uma consultoria alimentar e se informar mais sobre franquia de alimentação é altamente indicado quando há muita confusão sobre como os procedimentos devem ser feitos.

Além disso, se quiser saber mais sobre franquias, baixe agora mesmo o e-book “Descubra os passos para sua empresa de alimentos reduzir desperdícios e ser mais lucrativa.” Disponivel na aba “E-book”.

Contate-nos para Palestras, Treinamentos e Consultorias Alimentares em seu estabelecimento pelo e-mail: assessoria@ouvidoriaalimentar.com.br.

Acompanhe nossas mídias sociais e baixe o e-book em www.ouvidoriaalimentar.com.br.

#OuvidoriaAlimentar
#DraAdrianaAbud
#FranquiaDeAlimentos

Autora: Dra. Adriana Abud é Médica Ouvidora, Expert em Food Safety, Food Defense e Food Fraud.

Imagem: Giovana Barbosa

 

Compartilhe o post nas redes:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email

Deixe seu comentário:

Copyright © Ouvidoria Alimentar 2020.